O que me importa agora tanto

Disponibilidade: Em estoque

R$29,00

O que me importa agora tanto

Sinopse

O livro O que me importa agora tanto (Editora 7Letras) reúne 74 poemas de Félix Alberto Lima inspirados no ritmo das ruas e em observações casuais do cotidiano. Com uma certa carga de juventude e atualidade (o mundo das redes sociais dita a cadência de boa parte dos versos), a obra é urbana e ao mesmo tempo expõe os escapismos preferenciais do autor, do ócio ao cio, dos girassóis de setembro aos amores lisonjeiros – elementos que dão ao livro uma leveza quase bucólica.



O que me importa agora tanto é marcado, segundo Antônio Carlos Secchin, pelo humor e autoironia fina recolhidos nos flagrantes do olhar atento do poeta, o viés fotográfico da escrita. Félix Alberto Lima tece paisagens ligeiras, situações aparentemente irrelevantes, ora risíveis, ora provocadoras, que crescem e ganham a forma solta e desinibida do poema. Os “sutis deslocamentos de percepção” apontados pelo também poeta Salgado Maranhão, no prefácio da obra, revelam a faceta mais cara ao autor: o filtro da boa irreverência.  No primeiro poema, que flerta com o título do livro, o autor incita a desconfiança na arte polaroide, no monumento ao momento, no poema hermético, irrevelável. Como quem despretensiosamente anuncia o fim da “poesia somente para poetas”, o autor passa a régua: “Chega de tanto agora”!


A poesia de Félix Alberto Lima vai direto ao ponto, instiga a imaginação do leitor e está impregnada daquele  “frescor  nunca  dantes visto”, como aponta, na orelha do livro, outro maranhense, o cantor e compositor Zeca Baleiro. Como ele, Geraldo Carneiro também estende o tapete para a chegada do autor: “O que mais me agrada na poesia de Felix Alberto é a originalidade”. 



São poemas que fogem às convenções, escolas e  modismos literários, aparentados das mensagens econômicas e certeiras da internet e do mundo publicitário - com ressonância na poesia marginal dos anos 70 –, valiosos recortes carregados de alta dosagem de lirismo. Conforme assinala Domício Proença Filho, num dos textos de apresentação do livro, as composições de Félix Alberto centralizam-se em “aspectos confessionais vinculados aos conflitos com o cotidiano da vida”.

Informação Adicional

Número de páginas 88
Ano 2015
Formato 14x21cm
Edição 1ª edição
Número da revista
ISBN 978-85-421-0338-0