Márcia Bechara

Autor

Sobre o autor

Márcia Bechara escreve cartas de amor a pedido de colegas da escola desde os nove anos de idade. Ainda aos sete, descobriu a caderneta de poemas que vinha com a extraordinária vantagem de figuras para colorir. Aos 19, escreveu seu primeiro livro, uma edição rosa de impropérios amorosos, Alegoria para Dinorah (Mazza Edições, 1994). De ascendência libanesa e fã das veredas da latino-américa, aos 25 anos, adaptou e montou para o teatro Rútilo Nada (Sesc/SP/1998), de Hilda Hilst, axioma do anti-amor, texto liberado pela autora após uísque, novela, cachorro, lágrima e foto, não necessariamente nessa ordem.

Como atriz, foi também A Noiva, de Lorca, Alice, de Caroll, Manuela, de Rosa, A Narradora, de Lispector.Como performer, é Jezebel, thebulletwomanisback. Agora, aos 34, Márcia Bechara publica  Casa das Feras, espécie de jardim laico, pouco amigável e sem boas intenções, mas infestado de serpentes e produtos de larvas próprias.

A autora, que também é jornalista, reconhece os intestinos como essenciais no acolhimento do luxo e do lixo da espécie. É apaixonada pelo luxo e pelo lixo da espécie, principalmente se disfarçados em atitudes gentis. Radicada em São Paulo há nove anos, Márcia é natural de Belo Horizonte. Alguns de seus textos, como A demora em cada um de nós, Lastro e O ladeado receberam menção honrosa em concursos nacionais de contos.

Livros do autor

Casa das ferasContos